Estrutura organizacional

logo_blank.png

COOATES

CONSELHO

ADMINISTRATIVO

ASSEMBLÉIA

GERAL

CONSELHO

FISCAL

SÓCIOS 

ORGANIZADOS

PARA EXERCER

ATIVIDADES

PRODUTIVAS

PRODUTOS

E SERVIÇOS

TOMADOR DE SERVIÇOS

MERCADO

Assembléia Geral – órgão supremo da cooperativa que, conforme o prescrito na legislação e no Estatuto Social tomará toda e qualquer decisão de interesse da sociedade. Além da responsabilidade coletiva que se expressa pela reunião de todos, ou da maioria, nas discussões e nas deliberações. A reunião da Assembléia Geral dos cooperados ocorre nas seguintes ocasiões:

  • Assembléia Geral Ordinária (AGO) – realizada obrigatoriamente uma vez por ano, no decorrer dos três primeiros meses, após o encerramento do exercício social, para deliberar sobre prestações de contas, relatórios, planos de atividades, destinações de sobras, fixação de honorários, cédula de presença, eleição do Conselho de Administração e Fiscal, e quaisquer assuntos de interesse dos cooperados;

  • Assembléia Geral Extraordinária (AGE) – realizada sempre que necessário e poderá deliberar sobre qualquer assunto de interesse da cooperativa. É de competência exclusiva da AGE a deliberação sobre reforma do Estatuto, fusão, incorporação, desmembramento, mudança de objetivos e dissolução voluntária.

Estatuto social – conjunto de normas que regem funções, atos e objetivos de determinada cooperativa. É elaborado com a participação dos associados para atender às necessidades da cooperativa e de seus associados, obedecendo a um determinado padrão. Mesmo assim não é conveniente copiar o documento de outra cooperativa já que a área de ação, objetivos e metas diferem uma da outra.

Conselho de Administração ou Diretoria – órgão superior da administração da cooperativa. É de sua competência a decisão sobre qualquer interesse da cooperativa e de seus cooperados nos termos da legislação, do Estatuto Social e das determinações da Assembléia Geral. O Conselho de Administração ou Diretoria será formado por cooperado no gozo de seus direitos sociais, com mandatos de duração (no máximo 4 anos) e de renovação estabelecida na legislação.

Conselho Fiscal – formado por três membros efetivos e três suplentes, eleitos para a função de fiscalização da administração, das atividades e das operações da cooperativa, examinando livros e documentos entre outras atribuições. É um órgão independente da administração. Tem por objetivo representar a Assembléia Geral no desempenho de funções durante um período de doze meses, com exceção do ramo crédito que é de 03 (três) anos.

Demonstração de resultado do Exercício – no final de cada exercício social é apresentado, na Assembléia Geral, o Balanço Geral e a Demonstração do Resultado que devem conter:

  • Sobras – são chamados de sobras os resultados dos ingressos menos os dispêndios. As sobras líquidas apuradas no exercício poderão ser retornadas ao associado após as deduções dos fundos indivisíveis.

  • Perdas - os prejuízos verificados no decorrer do exercício serão cobertos com recursos provenientes do Fundo de Reserva e, se este não for suficiente, o pagamento deverá ser realizado mediante rateio, entre os associados, na razão direta dos serviços usufruídos.

  • Fundo indivisível – as cooperativas são obrigadas a instituir um Fundo de reserva destinado a reparar perdas e atender ao desenvolvimento de suas atividades, formado com pelo menos 10% (dez por cento) das sobras líquidas do exercício.